Notícias 21 mar, 2022

CEDAE instala MPC-Buoys para melhorar a qualidade da água de 10 milhões de pessoas no Rio de Janeiro

A Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (CEDAE), responsável pelo sistema de distribuição de água do estado, instalou a tecnologia LG Sonic para controlar o crescimento de algas em um de seus principais reservatórios de água potável.

Há 46 anos, a CEDAE trata e distribui água no Estado do Rio de Janeiro. A empresa transfere distribuição de água e tratamento de esgoto para concessionárias em 48 cidades do estado. Nos últimos dois anos, a qualidade inadequada da água se tornou um grande problema para os cidadãos do Rio de Janeiro. O crescimento extensivo de algas desencadeou problemas na fonte primária de água do estado.

O principal problema é geosmina, compostos naturais concentrados no Rio Guandu com sabor e odor terrosos característicos. O Rio Guandu é vital para o povo do Rio de Janeiro, pois atende 10 milhões de pessoas e 85% da demanda total de água urbana.

Oito bóias do sistema MPC-Buoy foram implantados para melhorar a qualidade da água do Rio Guandu. As bóias MPC-Buoy usam ondas ultrassônicas aquáticas para prevenir o crescimento das algas. Com a funcionalidade de monitoramento de qualidade da água em tempo real, o crescimento de algas pode ser previsto e controlado.

O Diretor de Saneamento e Grande Operação da CEDAE, Daniel Okomura, enfatizou que o monitoramento da qualidade da água em tempo real, que permite a modificação de frequências ultrassônias para combinar com as águas nos corpos d’água, também melhorará a eficiência e manutenção de suas operações.

Ao escolher a tecnologia LG Sonic, a CEDAE reforça seu compromisso com a segurança da água da todo o estado. Leonardo Soares, CEO da CEDAE, reforçou que o projeto apoia o modelo de operação atual da empresa, que tem como foco os princípios ASG (Ambiental, Social e Governança) pois a nova tecnologia é livre de substâncias químicas e não há produtos contaminantes adicionados à água.